VIGÍLIA DA NEGOCIAÇÃO

Muitos foram os contratempos que aconteceram no país, na semana passada, principalmente pela paralisação dos caminhoneiros e petroleiros, apesar de suas reivindicações contemplarem a população, pois preços altos de combustíveis e de gás de cozinha, bem como a venda das estatais, trazem prejuízos imediatos e futuros à sociedade.

 

Ao mesmo tempo, os trabalhadores e as trabalhadoras em educação do Jaboatão dos Guararapes continuaram em GREVE, com forte mobilização, que também é justa e necessária para a conquista de direitos. O SINPROJA, através da direção e de companheiros/as da base, foi aos locais de trabalho, conseguindo conscientizar sobre a importância da luta, aumentando a adesão ao movimento paredista.

 

No dia 29 de maio, foi realizada uma grande assembleia. A categoria não esmoreceu diante das dificuldades, ávida por avanço na Campanha Salarial Educacional, compareceu, em massa. Na ocasião, ao saber que o silêncio do governo continuava, respondeu com a aprovação, por unanimidade, da continuidade da GREVE, de assembleia permanente e de realização do Enterro da Gestão Anderson Ferreira.

 

O SINPROJA organizou o evento, de forma lúdica e criativa, para que população tomasse conhecimento do descaso e desrespeito da prefeitura com a comunidade escolar. Carros de som circularam pela cidade com o convite para a “O cortejo fúnebre”.

 

Horas antes do inicio da atividade, como resultado da mobilização contundente, a direção do SINPROJA recebeu um ofício, convocando a Comissão de Negociação para uma reunião na segunda-feira, dia 04 de junho, às 10h, na Prefeitura.

 

A categoria, reunida em assembleia, avaliou a situação. Entendendo que as atividades de mobilização atingiram o objetivo de abrir a negociação com apresentação de proposta financeira por parte do governo municipal e buscando uma saída para o impasse que o próprio governo instalou, decidiu suspender o “cortejo fúnebre” e realizar a Vigília da Negociação, a partir desta segunda-feira, às 9h, no Palácio da Batalha (Prefeitura Municipal – JG)

 

Desejamos que o bom senso prevaleça. Apostamos no diálogo produtivo, na construção democrática de uma proposta que contemple toda a categoria, para que possamos encerrar a greve e voltar às aulas, o mais rápido possível.

 

SINPROJA: 25 ANOS DE LUTA, EM DEFESA DA EDUCAÇÃO JABOATONENSE

Compartilhe