SINPROJA repudia processo de implantação do Programa de Escolas Cívico-Militar em Jaboatão dos Guararapes

A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes alardeou que a escola Municipal Natividade Saldanha foi a escolhida a fazer parte do Projeto de Escolas Cívico-Militar proposto pelo MEC, o qual foi recusado pelo Governo Estadual, bem como por todos os outros Governos Municipais de Pernambuco.

 

O processo ocorreu sem consulta às instituições educacionais, como Conselho Municipal de Educação, Fórum Municipal de Educação, Conselho Escolar ou ao próprio SINPROJA.

 

A notícia que ia haver uma reunião com a comunidade escolar para oficializar a escolha da referida escola chegou à direção sindical, de maneira informal, em 26/11/2019, dia da realização do evento. Sem convite institucional, mas com responsabilidade e compromisso por uma educação pública, democrática, inclusiva e de qualidade socialmente referenciada, comparecemos e reivindicamos o direito de expressar a posição do SINPROJA em relação a este Programa, apesar de já termos divulgado amplamente, por meio de vídeo e material escrito os devidos argumentos de sermos contrários/as.

 

O mais espantoso é que os/as trabalhadores/as em educação, que também fazem parte da comunidade escolar, presentes na ocasião da reunião, não tiveram oportunidade de opinar, muito menos de participar de qualquer discussão acerca do tema antes da votação aligeirada e sem debate, descaracterizando o verdadeiro sentido da palavra democracia.

 

Após o evento promovido pela Secretaria de Educação na escola Natividade Saldanha, o SINPROJA foi conversar com os/as trabalhadores/as, muitos dos quais expressaram indignação ao desrespeito vivenciado. Foram unânimes em afirmar que a comunicação da reunião tinha ocorrido no dia 22/11/2019, ou seja, 2 dias úteis antes daquele momento, sem diálogo, sem discussão. Fato que demonstra o quanto esse programa é antidemocrático, autoritário e opressor.

 

O SINPROJA vem a público repudiar tal postura do Governo Municipal, que trata os/as educadores/as da Escola Natividade Saldanha de forma truculenta, sem ouvir interessados/as e envolvidos/as no cotidiano daquela unidade educacional.

 

SINPROJA: 26 ANOS DE LUTA, EM DEFESA DA EDUCAÇÃO JABOATONENSE

Compartilhe

Deixe uma resposta