Escola Municipal José Queiroz, na Usina Bulhões é desativada

20160905_114335
Comunidade escolar da José Queiroz ainda está se adaptando na nova escola

Após absurdos nove meses de intenso abandono, resultando em um insuportável clima de terror para trabalhadores em educação e estudantes da Escola José Queiroz, localizada na Usina Bulhões, toda comunidade escolar foi realocada esta semana para a Escola Municipal Roberto Inácio da Silva, em Vila Rica. A mudança ocorre logo após a ação de assaltantes que portando armas de fogo, vitimaram professores e alunos dentro da escola.

A crise da unidade escolar já vinha se arrastando desde 2012 com promessas da prefeitura por regulamentação da escola que obedecia a um sistema de comodato, sendo de propriedade da Usina Bulhões, além de reformas prometidas. Porém os donos da usina já sinalizavam o desinteresse pela permanência da escola no prédio, deixando clara a previsão de que no início de 2016 a unidade seria desativada. Já em 2015, a escola era a única que contava com vigilância 24h, vista a insegurança da região, situação que mudou neste ano, quando nem a Guarda Municipal direcionava mais um efetivo, principalmente após 2 GM’s serem assaltados no local.

20160905_113635A gestora da escola, Regineide Oliveira, afirma que a unidade escolar sofreu muito pela falta de segurança, principalmente depois da retirada da comunidade que era vizinha ao prédio.

A falta de segurança foi o fator primordial para o avanço nos prazos da mudança, além do assalto a mão marmada dentro da escola, neste ano já foi contabilizado 12 arrombamentos, além de sucessivos casos de assaltos do lado de fora.

Das mudanças

20160905_115131Desde segunda-feira (5) toda comunidade foi direcionada para a Escola Municipal Roberto Inácio, na Vila Rica. A mudança apesar das condições que forçaram a realização, foi negociada com a Secretária Executiva de Educação, onde a prefeitura prometeu a manutenção dos benefícios dos trabalhadores em educação até dezembro, além de prioridade para estes profissionais, caso queiram ser relocados no próximo ano para unidades contempladas com o Difícil Acesso.

A escola Roberto Inácio apresenta hoje plenas condições para absorver o contingente de ambas as unidades, foram direcionadas salas de aula para os estudante e professores, que funcionam nos três turnos, sendo 8 turmas pela manhã, 7 à tarde e 2 à noite.

Compartilhe