Educação requer militância!

Iniciando a Campanha Salarial Educacional 2018, o SINPROJA enviou aos locais de trabalho um texto norteador, para a construção democrática da pauta de reivindicações, a qual será sistematizada e apresentada para aprovação na Assembleia Geral da categoria, que acontecerá no dia 28/02, às 8h30, no Clube dos Ferroviários. Ressaltamos o compromisso e a responsabilidade de cada trabalhador e trabalhadora em educação nessa construção e na mobilização para as atividades de luta, objetivando a efetivação de avanços.

 

Paulo Freire afirmou que “Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco, a sociedade muda”. Nós, discípulos/as do Patrono da Educação, temos a obrigação de lutar por garantia de direitos e conquistas, pela promoção e valorização das diversidades. Não é à toa que o governo golpista, a todo instante, ataca as entidades que lideram esta luta, inclusive desarticulando o Fórum Nacional de Educação e o Conselho Nacional de Educação, tendo seguidores nesta peleja em alguns estados e municípios. Felizmente, temos uma legião de pessoas conscientes, guerreiras. Lideranças que direcionam a luta com afinco e determinação. Assim, nacionalmente e em alguns estados e municípios, a CNTE, suas afiliadas e demais entidades comprometidas estão realizando Conferências Populares de Educação.

 

Em Jaboatão, foi possível estabelecer o diálogo para a construção da VI COMUDE (Conferência Municipal de Educação), espaço de engajamento para o debate qualificado entre as pessoas que defendem uma educação pública, gratuita, laica, de qualidade social, democrática, inclusiva e sem discriminação.

 

Durante a semana que passou e nesta que se inicia, estamos vivenciando as Pré-Conferências Municipais de Educação, como primeira etapa da COMUDE, nas quais são escolhidos/as os/as delegados/as. O SINPROJA está acompanhando cada uma delas e chamando as pessoas eleitas para uma reunião no dia 05/03, às 8h, na sede da entidade, em Jaboatão Centro, com o objetivo de tirar posição e formular, democraticamente, propostas que venham a contribuir com avanço da educação em nosso município. Estamos atentos/as e vigilantes, mas não basta! Entendemos que é necessário propor, fiscalizar, reivindicar e lutar. Diante da conjuntura que o país enfrenta, não há trégua nestas batalhas. É questão de projeto de vida, não só dos trabalhadores/as em educação, mas de toda a sociedade, que deve preservar o futuro dos filhos/as e netos/as.  Companheiros e companheiras, vamos à luta! Juntos/as somos fortes!

 

SINPROJA: 24 ANOS DE LUTA EM DEFESA DA EDUCAÇÃO JABOATONENSE.

Compartilhe