Dirigentes do SINPROJA Participam de Atividades em Curitiba, Agregando Informações e Contribuindo com a Luta Nacional e na América Latina

Aconteceu em Curitiba-PR, nos dias 03 a 05 de dezembro, o V Encontro do Movimento Pedagógico Latino-americano, realizado pela Internacional da Educação para a América Latina (IEAL), com a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e o PROIFES (Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico). O SINPROJA estava entre os mais de 500 participantes, vindos de 12 países. Na ocasião, debateram a conjuntura política e definiram um plano de ação regional para defender a educação como direito. A atividade culminou com a mensagem eloquente de unidade da latino-americana.

Sueli Veiga, vice-Presidenta da FETEMS/MS e secretária-adjunta de formação da CUT (Central Única dos Trabalhadores), representou a CNTE e fez a relatoria falando pelo grupo das entidades brasileiras. As propostas foram feitas com atenção especial nas eleições do ano que vem para prefeitos e vereadores e a eleição majoritária em 2022. A unidade, formação de base e ações específicas de comunicação, disse, resumem a ideia do Brasil. “Precisamos articular uma frente ampla de esquerda junto com outros movimentos e atores que não estão nas nossas bases e participar amplamente dos processos políticos eleitorais. Precisamos incentivar a participação dos trabalhadores da educação em todos os processos: para prefeitos, vereadores, já preparando a eleição de 2022”.

O Secretário Geral da IE, David Edwards, fez uma fala emocionada sobre a consistência e dedicação das entidades educacionais da América Latina na resistência contra os retrocessos sociais pelos quais passa o continente.

O presidente da IEAL, Hugo Yaski, encerrou o ato que também se transformou numa demonstração da solidariedade do povo latino-americano ao presidente Lula, solto após 580 dias de prisão em Curitiba. Hugo defendeu a construção de uma potente unidade popular liderada pelos setores da Educação, que seja capaz de aglutinar forças e ser um instrumento para ganhar eleições, como o que ocorreu na Argentina. Hugo também é presidente da Confederação dos Trabalhadores da Argentina (CTA) e foi eleito deputado no último pleito.

Ainda em Curitiba-PR, dirigentes do SINPROJA participaram da 3ª Plenária Intercongressual da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação). Com o lema “Representação, Estrutura e Financiamento: Sindicato forte e de luta!”, a atividade faz parte do calendário estatutário da entidade e já prepara o conjunto dos dirigentes para o 34º Congresso que acontecerá em Brasília-DF, em 2021.

O presidente da CNTE, Heleno Araújo, e a Vice-Presidenta, Marlei Fernandes, abriram os trabalhos com a leitura do “Manifesto em defesa dos serviços públicos para a população trabalhadora, dos direitos dos trabalhadores e contra as privatizações”, lançado pelas Centrais Sindicais em 26 de novembro. Heleno afirmou que “essa 3ª Plenária acontece num momento estratégico para fortalecer o debate que estamos fazendo com as Centrais, no sentido de barrar os ataques desse governo aos direitos da classe trabalhadora, e é fundamental que todas e todas possam trazer suas contribuições para enriquecer esse processo”

O presidente do PROIFES (Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico), Nilton Brandão, mencionou a importância da CNTE no FNPE (Fórum Nacional Popular da Educação) que com o PROIFES e outras 33 entidades de atuação nacional, tem desempenhado a tarefa pressionar o governo federal e fazer valer a implementação do PNE (Plano Nacional da Educação), em todas as esferas da administração pública. “A CNTE é ponta de lança na luta pela educação no país inteiro, e tem demonstrado isso não só nos encontros, mas na luta do cotidiano. Somos parceiros nessa defesa e resgate do projeto de educação que queremos”, destacou.

Depois de dois dias intensos de debates, a 3a Plenária Intercongressual da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), em unidade, aprovou o documento final que em breve será disponibilizado para toda a base da educação brasileira e servirá de norte pra a organização das lutas que virão.

CALENDÁRIO DE MOBILIZAÇÃO ATÉ O 1º DE MAIO DE 2020 

24 de Janeiro-Dia nacional do/a aposentado/a: Aposentadas e os Aposentados nas praças e ruas, dialogando sobre a importância dos Serviços Públicos para este segmento da sociedade.

21 de Fevereiro-Carnaval: Botando o Bloco na rua contra o Desgoverno Bolsonaro e em Defesa dos Serviços Públicos, da educação pública e contra todas as reformas, pela aprovação do Novo FUNDEB com Piso e Carreira.

08 de Março-Dia Internacional da Mulher: atividades de luta por políticas públicas de proteção social para as Mulheres.

18 de Março-Indicativo de Greve Geral convocada pelas centrais sindicais 

23 de Abril- Lançamento da 21ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública. Tendo como foco a aprovação do Novo FUNDEB.

01 de Maio- Dia Internacional do/a Trabalhador/a: participação nos atos unificados das Centrais Sindicais.

Compartilhe

Deixe uma resposta