Comitiva do SINPROJA foi à Prefeitura e Fórum para cobrar convocação de concursados

Janeiro é mês de férias coletivas dos professores e professoras da Rede Municipal do Jaboatão dos Guararapes. Outros trabalhadores em educação também tiram férias neste período, pois renovar as energias é fundamental e humanamente necessário.

 

Após um ano de muitas lutas, O SINPROJA inicia 2018 adotando um sistema de rodízio. Alguns diretores/as gozam parte de suas férias na primeira e outros/as na segunda quinzena do mês de janeiro. O importante é que a entidade continua à disposição da categoria, principalmente porque a luta não para, as demandas aparecem com muita frequência e estamos a postos para “desatar alguns nós”.

 

Desta forma, na segunda-feira, 08/01/2018, vários/as companheiros/as que foram aprovados/as no último concurso, procuraram nossa entidade para solicitar apoio na cobrança de suas convocações, já que foi divulgado através da mídia que a Prefeitura estava abrindo seleção simplificada para contratação temporária de professores/as.

 

Sendo o concurso público umas das bandeiras de luta do SINPROJA, de pronto uma comitiva se deslocou para a Prefeitura Municipal de Jaboatão dos Guararapes para se reunir com a representação dos referidos concursados/as e com representantes da Secretaria de Educação, objetivando mediar o debate e reivindicar que o pleito dos trabalhadores/as fosse atendido.

 

Ao término dos questionamentos, a representação da Secretaria de Educação, justificou que, como a ação movida pelo Ministério Público Estadual contra a Prefeitura, suspendendo prazo do término do último concurso, estava tramitando, não poderia ser convocado nenhum concursado e que, no caso de Professor 1, teriam que enviar para o Poder  Legislativo um Projeto de Lei criando os cargos,  pois já foram esgotados os que foram criados no edital do concurso.

 

Sobre as contratações, foi esclarecido que seriam para substituir professores/as de licença, mesmo assim, diante das argumentações do SINPROJA, os representantes do Governo Municipal, reconheceram que existem vagas originárias de professores/as que se aposentaram, faleceram, pediram exoneração etc., as quais devam ser preenchidas por concursados/as. Ao final dos debates, foi acordado que a equipe da Secretaria de Educação fará levantamento da verdadeira situação de vagas e informará até o final de março, ocasião em que estarão cientes do quantitativo de estudantes matriculados na rede.

 

Após a reunião na Prefeitura, juntos com demais concursados/as que se fizeram presentes e aguardavam o retorno da comissão, os representantes do SINPROJA dirigiram-se ao Fórum para solicitar a Juíza da Segunda Vara da Fazenda, agilidade na decisão da ação movida pelo Ministério Público contra a Prefeitura, já que o Governo Municipal alegou que só poderá convocar  os concursados após o despacho final.  A comitiva foi também a Defensoria Pública, onde foi recebida e orientada pela promotora.

 

O SINPROJA estará à disposição dos concursados e das concursadas nesta luta por dignidade. Somos contra a precarização do trabalho representada por contratos que geram instabilidade, alta rotatividade, quebra de vínculo com a rede, adoecimento pelas jornadas exaustivas, desrespeito ao Estatuto do Magistério e a Lei de Diretrizes e Bases, provocando a completa desvalorização profissional.

 

SINPROJA 24 anos de luta em defesa da educação jaboatonense

Compartilhe