CNTE se mobiliza contra PL que regulamenta educação familiar

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) está mobilizando todos os educadores do Brasil contra a aprovação do Projeto de Lei  (PL) nº 3262/19, que regulamenta a educação domiciliar. O tema está agendado para esta segunda-feira (31), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados.

Para barrar essa Lei, a CNTE está mobilizada nas redes sociais com o tuitaço #NãoÀEducaçaoDomiciliar, que começou às 9h, e o envio de mensagens para parlamentares. A adesão de parlamentares e de especialsitas em educação está movimentando o Twitter.

O deputado Rogério Correia (PT-MG), postou em seu perfil uma mensagem chamando a atenção para o fato de que, ao estudar em casa, muitos estudantes mais vulneráveis perderão “a única ou a principal refeição do dia. Regulamentar o homeschooling significa aumentar a insegurança alimentar e nutricional na vida de milhares de crianças”.

Mais de 300 instituições acadêmicas, entidades sindicais, organizações e redes de educação e de defesa dos direitos humanos e entidades religiosas assinaram o documento “Manifesto Contra a Regulamentação da Educação Domiciliar e em Defesa do Investimento nas Escolas Públicas” e afirmam as diversas razões pelas quais são contrárias à educação domiciliar no país. Entre elas, que essa forma de ensino fere o direito de crianças e adolescentes à convivência social e ao acesso a conhecimentos científicos e humanísticos, mesmo que estes confrontem doutrinas religiosas e políticas defendidas por suas famílias. Chamam a atenção que a regulamentação do homeschooling vai contribuir para o desmantelamento da política de educação inclusiva de estudantes com deficiência em escolas regulares.

Confira 8 argumentos para dizer não à educação domiciliar

ACESSE OS CARDS DO TUITAÇO

educacao domiciliar 31maio 8razoes 10
educacao domiciliar 31maio 8razoes 10

Compartilhe

Deixe um comentário