Celebração da Classe Trabalhadora teve música, solidariedade e #ForaBolsonaro

Nesta sexta-feira, primeiro de maio – Dia Internacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras – a celebração foi realizada pela internet. A CUT organizou o evento ao lado de CGTB, CSB, CTB, Força Sindical, Intersindical, Nova Central, Pública e UGT. Duas centrais, CSP-Conlutas e outra Intersindical, organizaram evento virtual à parte. Com a participação de lideraças dos mais diferentes espectros políticos e movimentos sociais, a programação começou às 11h30 e terminou por volta das 17h, com muita música, participação de artistas nacionais e internacionais, momentos de solidariedade e arrecadação de recursos para os mais vulneráveis, além de críticas ao presidente Jair Bolsonaro e suas políticas genocidas.

>> Acesse o vídeo do evento na íntegra

Para o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sérgio Nobre, “Bolsonaro continua com seu discurso genocida. Bolsonaro continua atacando a política de isolamento, continua a atacar os governadores, os prefeitos, continua a atacar a democracia, o movimento sindical, em especial a CUT, e também os direitos dos trabalhadores”. Na avaliação do sindicalista, “O povo brasileiro merece retomar o caminho do crescimento econômico, o caminho da geração de emprego, das políticas sociais, da tranquilidade social, da igualdade, da melhoria dos serviços públicos. E isso virá com a luta. Só na luta e na pressão popular nós vamos afastar Bolsonaro e vamos construir o país que a gente quer”.

Ao longo da programação diversos artistas também falaram sobre a importância da empatia e solidariedade para o enfrentamento da pandemia. O ator norte-americano Danny Glover, propôs: “Também precisamos começar a construir o futuro. E construir o futuro significa mudar esses sistema baseado no lucro e criar e desenvolver um sistema que se importe com a gente, com os trabalhadores, se importe com a pobreza e com as pessoas pobres. Nós temos que fazer isso não só por nós mas também para o próprio planeta”.

>> Acesse a plataforma todomundo.org para fazer doações que são organizadas pelas frentes de movimentos populares

As Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo lançaram, junto a artistas brasileiros, o clipe da música “O Sal da Terra”, como uma homenagem ao Povo Brasileiro no Dia da Classe trabalhadora. Acesse o vídeo.

Veja a seguir o discurso do presidente da CUT, Sérgio Nobre.

Companheiros e Companheiras,

Hoje é 1º de Maio, o Dia Internacional da classe trabalhadora.

Nesse dia os trabalhadores em todos os países do mundo se organizam para rememorar as lutas do passado e pensar as pautas do presente e as lutas que se avizinham no futuro.

Esse primeiro de maio é um primeiro de maio histórico porque pela primeira vez em função da pandemia mundial do coronavírus não haverá 1º de Maio presencial em nenhum país do mundo.

Aqui no Brasil nós estamos pela primeira vez realizando o 1º de maio via internet. Desde às 11h30 da manhã nós estamos aqui debatendo os problemas do país e da classe trabalhadora brasileira.

Vivemos um momento terrível de nossa história. A pandemia ja ceifou milhares de vidas no nosso país: já ultrapassamos e mortes o que ocorrreu na China.

E Bolsonaro continua com seu discurso genocida. Bolsonaro continua atacando a política de isolamento, continua a atacar os governadores, os prefeitos, continua a atacar a democracia, o movimento sindical, em especial a CUT, e também os direitos dos trabalhadores.

Bolsonaro propiciou a maior retirada de direitos da classe trabalhadora, inaugurou um período de humilhações da classe trabalhadora. Fiquei chocado essa semana com um caso de comerciários da Paraíba em que o patrão obrigou os funcionárois a se ajoelhar, mentindo dizendo que havia acordo com os trabalhadores, que era espontâneo, pedindo o fim da política de isolamento.

Bolsonaro não tem condições de governar o Brasil. Bolsonaro não tem estatura pra ser presidente do Brasil.

Faria um enorme bem a ele próprio e ao povo brasileiro se ele renunciasse e chamasse novas novas eleições. Mas ele não vai fazer isso, porque isso seria um gesto de grandeza, coisa que ele não tem.

O #ForaBolsonaro precisa ser mais do que uma palavra de ordem para nós nesse primeiro de maio. Bolsonaro precisa sair. Precisa sair porque o povo não merece viver a situação que está vivendo. O povo brasileiro merece retomar o caminho do crescimento econômico, o caminho da geração de emprego, das políticas sociais, da tranquilidade social, da igualdade, da melhoria dos serviços públicos. E isso virá com a luta. Só na luta e na pressão popular nós vamos afastar Bolsonaro e vamos construir o país que a gente quer.

Viva a classe trabalha! Viva a CUT! Viva o primeiro de maio e fora Bolsonaro!

Compartilhe

Deixe um comentário