Artistas gravam vídeo pedindo impeachment de Bolsonaro e reforçam mobilização do 24J

Dezenas de artistas gravam vídeo reforçando o dia nacional de mobilização pelo “Fora, Bolsonaro”, em 24 de julho, com argumentos a favor dos mais de 100 pedidos de destituição do presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL), entre eles, o superpedido de impeachment protocolado por centrais sindicais como a CUT, partidos políticos, juristas e representantes dos movimentos sociais.

Com música e textos fortes, o vídeo a favor do impeachment de Bolsonaro, reforça o grito que já ecoou nas ruas do país inteiro nos atos realizados em maio e junho e que voltará às ruas no dia 24 de julho.

>> Leia mais: Presidente da CUT convoca atos para o dia 24 e diz: só com povo nas ruas Bolsonaro vai cair

Artistas e sociedade pelo impeachment de Bolsonaro

No vídeo, intitulado “Artistas e sociedade pelo impeachment”, os artistas cantam a música “Desgoverno”, de Zeca Baleiro e Joãozinho Gomes, cujo refrão diz:

“Um homem sem juízo e sem noção não pode governar essa Nação”

Atores como Airton Graça, Denise Fraga, Julia Lemmertz, Malu Galli e Matheus Naschtergaele citam tragédias que ocorreram no mundo, comparam com a tragédia brasileira e cobram o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), responsável por aceitar ou não os pedidos de impeachment que coloque o tema na pauta da Casa.

Entre os cantores e cantoras que entoam trechos da música estão Zélia Ducan, Andrea Horta, Chico Salem, Letícia Sabatella, Camila Pitanga, Zeca Baleiro, Andre Abjujamra e Dani Negra. Já entre os artistas que falam a favor do impeachment tem ainda Elisa Lucinda e Zezé Mota.

Leia trechos da música Desgovero e cante junto:

“Motivo de tristeza noite e dia

é preciso calar a negação,

Nós estamos em época sombria,

mas no fim deste túnel há clarão.

É preciso estancar essa sangraia,

com o bem se desfaz a maldição.

Com o amor se retoma a alegria

e reacende o sorriso da Nação.

Já que o anjo do mal não renuncia,

tudo cobre com o véu da escutidão.

vamos por toda nossa energia,

nesse grito de indignação.

Refrão:

Um homem sem juizo e sem noção,

não pode governar essa Nação”.

Os atores e atrizes que não cantam entram em cena neste momento falando sobre catástrofes históricas como a do Titanic, navio de passageiros britânico que afundou e matou mais de 1.500 pessoas, em 1912, e os ataques contra o World Trade Center, nos Estados Unidos, em 11 de setembro de 2001, que matou 3 mil pessoas.

Na sequência, eles comparam essas catástrofes as tragédias diárias que estão ocorrendo no Brasil, onde mais de 539 mil pessoas morreram em decorrência de complicações causadas pela Covid-19, mas a maioria das mortes poderia ter sido evitada se o presidente tivesse criado um comando nacional de enfrentamento à doença e comprado vacinas na hora certa e em quantidade suficiente ao invés de negar a pandemia e a ciência.

“Um país que afunda, desaba e morre sufocado”, diz Sandra Nayanma.

“O comandante deste barco que afunda cada vez mais rápido e corre em direção aos recifes, tem nome e sobrenome conhecidos”, acrescenta o ator Matheus Naschtergaele.

“O presidente da Câmara e os congressistas têm de colocar em discussão imediata o assunto”, afirma a atriz Malu Galli.

“O Brasil tem um remédio para começar a estacar essa mortande de imediato: impeahcment já”, diz o ator Marco Ricca.

A frase ‘impeachment já’ é repetida por vários artistas.

E volta a música com Elen Oléria Fabiana Cozza, Camila Pittanga e outros.

“Vencerão a justiça e a poesia,

É preciso calar a negação,

Nós estamos em época sombria,

mas no fim desse túnel há clarão.

É preciso estancar essa sangria.

com o bem se desaz a maldição.

Como o amor se retoma a alegria

reeacende o riso da Nação….”

(CUT Brasil, Marize Muniz, 16/07/2021)

Compartilhe

Deixe um comentário